Como medir a freqüência dos cristais

Como identificar a freqüência de ressonância de cristais e ressonadores somente para identificar se for desconhecido ou para o uso em filtros a cristal.

Foto de filtro experimental (com sucata mesmo !)

Para os testes são necessários :

TESTE A

01 Frequencímetro com resolução de 1 a 10 Hz

01 Oscilador transistorizado (ver esquema)

OU

TESTE B

01 ressonímetro que possa ser ligado a um è

01 Frequencímetro com resolução de 1 a 10 Hz

Teste A descrição :

Trata-se de um oscilador Colpits como o utilizado para o Pixie.

Esquema do oscilador

Para facilitar o teste pode ser conectado um fio flexível com uma garra jacaré na ponta de uns 10cm na base do transistor e outro no terra.

O circuito pode ser montado em uma placa pequena e não é necessário colocar em caixa, pois os testes são raros e rápidos.

Este circuito também serve para testar ressonadores cerâmicos

 

TESTE B

 

 

 

Conforme ilustrado devemos fazer um elo ou dois em torno da bobina de sondagem do ressonímetro, com um fio flexível de preferencia com garras jacaré nas pontas. Prender o cristal (ou ressonador cerâmico) com as garras jacaré.

No mergulho do ressonímetro ler a freqüência do cristal no frequencímetro.

Cristais para serem usados em filtro deverão ter sua freqüência o mais próximo possível (em torno de 20 Hz) para filtros de CW. Par filtros com uma largura maior como SSB e AM os critérios devem ser outros.

Cristais para uso em OFB (oscilador de freqüência de batimento "BFO " em inglês) deverão ter uma freqüência de ressonância acima ou abaixo de aproximadamente 800Hz para CW ou 2,3kHz para SSB ou CW.